A Inglaterra e o críquete de teste perderão os floreios graciosos de Moeen Ali

A Inglaterra e o críquete de teste perderão os floreios graciosos de Moeen Ali
Através de sua técnica natural com o taco e sua habilidade para grandes postigos com a bola, bem como sua liderança como jogador de críquete muçulmano britânico, Moeen deixou uma marca duradoura no jogo da bola vermelha

Depois de sete anos como jogador de críquete de teste, Moeen Ali chamou o tempo. Uma semana antes de um prolongado 2021 verão finalmente fecha, o profissional versátil de Worcestershire anunciou sua aposentadoria do formato mais longo para se concentrar no que resta de sua carreira profissional.

Em outros esportes, essas notícias veriam as barragens abertas e elogios inundando o discurso. Mas a natureza do críquete moderno significa que jogadores da laia de Moeen têm inúmeras aposentadorias a declarar antes de qualquer finalidade. Não há uma porta para fechar, em vez de uma série de janelas. No caso do 34-year-old, este é o fechamento de um em que ele fez 64 aparições no formato para a Inglaterra, mas apenas nove nos últimos três anos. O fim já estava chegando há algum tempo.

Mas onde a prosa precisa ser temperada porque os deveres internacionais de Moeen ainda não acabaram, a adulação pode correr solta por causa de como ele operou nos brancos. Desde David Gower, o time do Teste de Inglaterra não tinha um estilista canhoto que fazia ângulos de cotovelo tão lindos com floreios, nunca balança. de forma similar, com a bola na mão direita, ele fez a maioria das entregas para fora do coto, embora não antes de mergulho e deriva graciosos.

No seu melhor, Moeen era o antídoto para Teste de críqueteManeiras tradicionais, sem nunca ser um renegado: operando dentro de seus parâmetros estritos, mas ainda conseguindo elevá-lo a um nível de classe alta, seja através de notas perfeitas do meio de seu bastão ou do barulho da madeira, pad ou snick de borda com uma entrega impossível de jogar. A menção de seu nome traz o pensamento de pelo menos um dos itens acima à mente. Na segunda-feira, sua aposentadoria trouxe vídeos de todas as inundações para vários canais de mídia social.

Essas memórias também vão desencadear as frustrações com Moeen. Um lembrete de alguém que fez o jogo parecer muito mais bonito do que deveria ser, mas raramente usava esses encantos para seduzir partidas ao seu capricho. Médias de 28.29 com o morcego e 36.66 com a bola contará a história de um jogador versátil que não conseguia entrar em sintonia com o nível mais alto. Para aqueles de nós que têm a sorte de vê-lo, a técnica imaculada sugeria mentalidade em vez de talento era o problema.

No entanto, julgamentos futuros devem ser compensados ​​por como sua carreira se compara àquelas que vieram antes. O 195 postigos são os terceiros mais por um spinner inglês, e os cinco lanços de cinco postigos ao longo de cinco séculos o têm como um dos apenas 13 na história do críquete de teste para alcançar ambos.

O fato de ele ser também o batedor de teste que ocupou posições desde a abertura ao número nove, pelo menos cinco vezes, é uma forma de avaliar como ele estava acostumado ao longo 64 cápsulas. Por mais que tenha sido vítima de seu período neste lado da Inglaterra, mudou em todas as direções em uma equipe que busca perenemente o equilíbrio e nunca o encontra, há uma admissão do próprio homem de que ele nunca fez o suficiente para ganhar o luxo de um papel consistente.

Moeen comemora um memorável hat-trick contra a África do Sul no Oval em 2017

“Eu olho para trás e 100 por cento eu fiz melhor do que pensei que poderia fazer,"Ele disse em suas entrevistas de aposentadoria com O Guardião e ESPNCricinfo. “Mesmo que agora eu sinta que poderia ter feito melhor.”

Ele continuará a se apresentar com uma camisa da Inglaterra, começando no próximo mês nos Emirados Árabes Unidos como uma parte vital da equipe de Eoin Morgan na Copa do Mundo T20. Talvez até no ano seguinte para o torneio de 2022 na Austrália. Sem mencionar para Worcestershire, Birmingham Phoenix e em outras competições em todo o mundo, como a Premier League indiana, onde atualmente está jogando pelo Chennai Super Kings.

Sem dúvida, é no críquete limitado onde ele se sente mais à vontade. Seu papel como um atacante de médio escalão está claramente definido, e o incentivo para marcar rapidamente está de acordo com a capacidade expansiva de fazer arremessos que não mostra sinais de escurecimento.

Mas ele é uma derrota para a camisa branca. Uma mente tática para não recorrer mais, e um camarim alto ou baixo perdeu uma influência calmante, seja por meio de uma avaliação sincera ou, às vezes, algum alívio de luz muito necessário. Um fiandeiro cujo jeito de pegar postigos - grandes, também - o vi ser trazido de volta para a briga em 2021 depois que a Inglaterra decidiu que eles tentaram seguir em frente muito abruptamente.

A repercussão do anúncio de Moeen é que Jack Leach e Dom Bess se beneficiarão por ter uma chance mais clara de fazer o XI. E embora eles já estejam em suas respectivas carreiras de teste, Altos e baixos de Moeen, até mesmo a maneira de sua aposentadoria, deve dar ao técnico Chris Silverwood e Joe Root como capitão muitas orientações sobre como gerenciá-los melhor.

Ele fez coisas fabulosas. A maneira como ele se comporta. A maneira como ele se comporta, a maneira como ele trata as coisas é fantástica. Ele deixa um legado

Joe Root

“Há uma série de coisas que vou olhar para trás quando terminar como capitão - eu poderia olhar para trás com pesar por ter feito um pouco diferente,”Disse Root na segunda-feira ao avaliar como Moeen foi tratado durante seus últimos anos, particularmente quando ele foi descartado após o primeiro teste do 2019 Cinzas. “A única coisa que direi é quando Mo tiver tocado, ele tem sido brilhante. Você olha a quantidade de jogos que ele afetou, a quantidade de momentos especiais que ele teve em um campo de críquete no formato de partida de teste foi excepcional. ”

Há também a questão do que Moeen representava como jogador de críquete do Teste da Inglaterra. Nasceu em Birmingham, o filho de imigrantes paquistaneses cuja adoção do Islã e sua educação lhe deram a força de fé e o propósito de chegar ao topo do jogo.

Em algumas formas, ser ungido como uma "inspiração" para um grupo de pessoas pode ser uma maldição. Especialmente em um campo como o esporte, onde a dedicação e a intenção de seguir uma carreira no nível da elite requerem a adoção de estreitas, foco egoísta.

Certamente no críquete inglês, ser um jogador de teste de ascendência asiática carrega o peso extra de representar o sub-representado. E ter sido um membro identificável de uma equipe no formato mais reverenciado neste país desde que Moeen estreou em 2014, coincidindo com um período de Islamafobia não limitada mais ampla no mundo ao seu redor, foi profundo.

Moeen não foi o primeiro britânico asiático, Muçulmano ou jogador de ascendência paquistanesa para representar a Inglaterra, e ele não será o último. Mas nem todos tiveram ou terão a vontade de usar um ou todos de forma tão confortável. Isso é uma prova de quanta clareza ele possui. Ele pode ter sofrido pelo equilíbrio profissional no formato mais longo, mas ele estabeleceu de forma consistente um equilíbrio pessoal estável sobre como suas próprias ambições poderiam informar aqueles que se veem nele.

“Quero que as pessoas saibam que sou muçulmano e britânico e tenho orgulho de ambos,”Disse Moeen em 2015 da volta de se tornar um dos jogadores de críquete do ano de Wisden para 22 demissões e um primeiro século de Teste em apenas sua segunda internacionalização durante seu primeiro verão de Teste de 2014. “Quero que as crianças asiáticas olhem para mim e percebam que, também, pode desfrutar de uma carreira no críquete. ”

Nós vamos, eles fazem. E embora seja melancólico pensar que Moeen mudou o mundo ao seu redor, deixando cair mandíbulas com golpes de dentro para fora através da cobertura ou girando uma bola vermelha através dos portões de alguns dos melhores rebatedores destros do mundo, ele certamente mostrou às gerações futuras de origens semelhantes e não tão semelhantes que o críquete pode ser para eles.

“Eu realmente espero que, com base no que ele fez e alcançou no Cricket Test, haja tantos meninos e meninas por aí que queiram seguir seus passos porque, como eu disse, ele fez coisas fabulosas,”Disse Root. “A maneira como ele se comporta. A maneira como ele se comporta, a maneira como ele trata as coisas é fantástica. Ele deixa um legado. ”

Cabe agora ao BCE e a outros no jogo inglês encorajar esses sentimentos fora do campo, enquanto também tenta preencher a lacuna deixada nele. E, sem dúvida, há problemas em torno da seleção e do desenvolvimento de spinners para resolver, dado que parece Moeen foi mal administrado e teve muitas oportunidades.

Ele deixa o críquete de teste com realizações para reverenciar, mas também espaço para que os fãs se perguntem se ele poderia ter dado mais. E ainda, dado o que ele alcançou, o que ele quis dizer, você poderia argumentar que Moeen tinha feito mais do que o suficiente.

Deixe uma resposta

seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *