Paul Gosar censurado por vídeo AOC ao se comparar a Alexander Hamilton

Paul Gosar censurado por vídeo AOC ao se comparar a Alexander Hamilton
O republicano do Arizona se torna o primeiro membro da Câmara censurado em mais de uma década

O Câmara dos Representantes votou para censurar Arizona Representante Paul Gosar por postar um vídeo animado retratando o assassinato de um colega e uma ameaça contra o presidente Joe Biden para sua conta oficial de mídia social.

Por uma margem de 223 em favor de 207 contra, membros aprovaram uma resolução de censura contra o Sr. Gosar, tornando-o o 25º membro da Câmara na história dos Estados Unidos a enfrentar tal sanção. Ele também foi destituído de seus assentos nos comitês de Supervisão da Câmara e de Energia e Recursos Naturais.

Ele ficou implacavelmente no poço da Câmara enquanto a Presidente da Câmara Nancy Pelosi lia a resolução, ladeado por um grupo de representantes do Partido Republicano que incluía Matt Gaetz da Flórida e Marjorie Taylor Greene da Geórgia, que também foi destituída de suas atribuições de comitê no início deste ano.

Como a Sra. Pelosi falou, A Sra. Greene tentou fazer uma pergunta sobre o Representante da Califórnia Eric Swalwell antes de ser silenciada com um som agudo do martelo do palestrante.

Os democratas apresentaram a resolução de censura contra Gosar na semana passada, depois que se soube que ele havia usado uma conta oficial de mídia social da Câmara para postar um vídeo animado retratando-o matando um representante de Nova York Alexandria Ocasio-Cortez com um par de espadas antes de ameaçar o presidente Biden com as mesmas armas.

Em uma declaração emitida em 9 novembro, o republicano do Arizona disse que não "defende a violência" contra nenhum de seus colegas ou o Sr. Biden, e afirmou que o objetivo do vídeo era retratar o próximo debate sobre a legislação Build Back Better de Biden. Ele chamou o vídeo - que foi criado por sua equipe financiada pelos contribuintes - de "anime fictício" que era "verdadeiramente um retrato simbólico de uma luta pela política de imigração".

Falando em sua própria defesa do plenário da Câmara na quarta-feira, Gosar negou que o vídeo fosse “perigoso ou ameaçador”.

O incendiário republicano - cujas associações com nacionalistas brancos declarados e retórica racista levaram seus próprios irmãos a se oporem à sua reeleição - optou por ser desafiador em vez de se desculpar ou expressar qualquer remorso.

“Se eu devo entrar Alexander Hamilton, a primeira pessoa que tentou ser censurada por esta Câmara, que assim seja," ele disse.

Um de seus alvos, Sra. Ocasio-Cortez, condenou os membros do Partido Republicano por sua recusa em condenar Gosar e sua caracterização da pressão dos democratas para censurá-lo como sem precedentes.

“O que eu acredito ser sem precedentes é que um membro da liderança da Câmara de qualquer uma das partes seja incapaz de condenar o incitamento à violência contra um membro deste corpo," ela disse. “É um dia triste em que um membro que lidera um partido político nos Estados Unidos da América não consegue dizer que é errado publicar uma descrição do assassinato de um membro do Congresso”.

“Alguém nesta câmara considera este comportamento aceitável? Você permitiria isso em sua casa?”Sra. Ocasio-Cortez perguntou.

Representante. Paul Gosar posta um ‘vídeo de fantasia’ caseiro dele com assassinato violento de AOC

Gosar é o primeiro membro da Câmara a enfrentar censura desde 2010, quando 333 Membros da Câmara votaram para censurar Nova York Democrata Charles Rangel por não pagar impostos sobre a renda de uma propriedade estrangeira que possuía enquanto servia como presidente do Comitê de Meios e Meios da Câmara que redige a legislação tributária.

Enquanto as acusações contra o Sr. Rangel, um democrata sênior que era então reitor da delegação do Congresso de Nova York, decorrente de impropriedades financeiras e resultou em 170 Democratas e 163 Republicanos votando para censurá-lo, apenas dois republicanos - representantes Liz Cheney e Adam Kinzinger - ingressaram 221 Democratas vão sancionar o republicano do Arizona por causa do vídeo que descreve a morte violenta de um de seus colegas. Outro membro GOP, Representante David Joyce de Ohio, votou “presente” na resolução.

Sra. Cheney e Sra. Kinzinger foram duas das 11 Republicanos que votaram para remover outro membro GOP, Representante Marjorie Taylor-Greene, das atribuições do comitê no início deste ano, mas no que é um sinal do ambiente cada vez mais tóxico que enfrenta os republicanos que resistem a seu próprio partido em qualquer assunto, none of the other nine who voted with Democrats in February did so this time.

As the House began debate on whether to censure Mr Gosar on Wednesday, House Speaker Nancy Pelosi called his conduct “extremely disturbing”.

Speaking from the House floor, Ms Pelosi said the video amounted to a “death threat” against Ms Ocasio-Cortez and Mr Biden. She added that the House “cannot have members joking about murdering each other or threatening the president of the United States”.

“When a member uses his or her national platform to encourage violence, tragically, people listen to them,” Ms Pelosi said.

Continuing, she called Mr Gosar’s conduct “both a danger to our elected officials and an insult to the institution of the House and Representatives,” implying that he was tacitly encouraging the sorts of violent acts against members that were threatened by the pro-Trump mob that stormed the Capitol on 6 Janeiro.

Em resposta, Minority Leader Kevin McCarthy launched into a rambling tirade in which the California Republican called the censure resolution an “unprecedented” action that was “about control,” and listed a litany of allegedly equivalent transgressions by Democratic House members, none of which included a threat of violence — implied or otherwise — against a specific member of Congress, that he claimed would be worthy of censure if Mr Gosar is censured.

Em particular, he singled out a trio of Black House members — Reps Maxine Waters, Ilhan Omar, and Democratic Caucus Chair Hakeem Jeffries — for comments they made about confronting Trump administration officials, Israel, and the Kyle Rittenhouse murder trial, respectivamente, and claimed that the censure resolution against Mr Gosar was an example of “rules for thee but not for me” on the part of Democrats.

While Mr McCarthy and other Republicans railed against the hurried manner in which the censure against Mr Gosar was brought to the floor, with some suggesting that “due process” would have required the accusations against him to be investigated by the House Ethics Committee, Ethics Committee Chair Ted Deutch said the nature of the violent video warranted fast action.

“When a fellow member of Congress has been threatened with violence. the House cannot wait indefinitely for Republican leadership to find its collective conscience and condemn the threat," ele disse. “Nothing in our rules requires the House to wait”.

Mr Deutch added that there was a “clear and present need” for the resolution because it will also remove Mr Gosar from the House Oversight Committee, of which Ms Ocasio-Cortez is also a member.

Mr Gosar, a former dentist who is serving his fifth term representing a district which stretches from the outskirts of Phoenix to the rural northwestern reaches of the Grand Canyon State, listened to the debate out of the chamber television cameras’ view as members prepared to take procedural votes on whether to consider the censure resolution, taking in the debate from a seat along the back wall of the chamber, his expression hidden by a mask.

He later moved to a seat three rows from the back on the GOP side of the hall, except for a few minutes when he rose to speak in his own defence.

A short time after Mr Gosar spoke, , California Representative Jackie Speier — the sponsor of the resolution against him — noted his recalcitrance, and accused him of specifically targeting Ms Ocasio-Cortez because she is a woman.

“It doesn’t take a rocket scientist to glean that this is gender-coded language,” said Ms Speier, who is no stranger to violence herself, having survived multiple gunshot wounds suffered during the 1978 Jonestown Massacre as an aide to the late Rep Leo Ryan.

“Twenty-three members of the House … have been censured for actions including insulting the speaker or using unparliamentary language. Certainly conduct by a member depicting murdering another member of the House deserves censure," ela continuou, adding that she would introduce the same resolution if a Democrat committed the same offence as Mr Gosar.

Maryland Representative Steny Hoyer, the House Majority Leader, noted that one of the counterexamples offered by Mr McCarthy in Mr Gosar’s defence was a “non-analogous action”.

“Why did he do that? Because there is no analogous event to this one in the 40-plus years that I have served here. There has never been a case like this," ele disse.

“This is about … a member … threatening and showing the killing of a member of this House,” Mr Hoyer continued. He then directed a question to his colleagues on the Republican side of aisle: “Can’t that appall you? Even that act? Do you have no shame?”

“No one, Democrat or Republican, ought to be allowed to engage in the promotion of violence against a fellow memberbecause we know with the glorification and promotion of violence … piercing tweets become sharp knives, words bring out firearms, and cartoon killing begets real-life bloodshed," ele disse.

Deixe uma resposta

seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *